Pompéia – As ruínas de uma cidade do Império Romano

Depois de morar por quase dois anos na Itália, há sete anos, não tem um ano que não volte para passear, nem que seja por alguns dias.

A Itália, é meu segundo lar e um dos países mais intensos em beleza e história, que até hoje, tive o prazer de conhecer.

Em uma dessas minhas idas, fui acompanhada de meu pai, neto dos Cicarello, Pascoal, que me deu a conexão genética e espiritual, com essa terra linda. No total, foram duas semanas: alugamos um carro (a maneira mais eficaz e econômica de se viajar por qualquer país da Europa, já que tudo é muito próximo, comparado com a nossa referencia de distância no Brasil) e mesmo havendo começado a viagem em Roma *(assunto para um próximo post), passado por Nápoles, é sobre Pompéia que estou escrevendo hoje. Para quem está de passagem em Roma ou Nápoles, dá para fazer um bate-volta de trem. Compre o ticket aqui: http://www.trenitalia.com/

Pompéia foi uma das cidades mais ricas do antigo Império Romano e recanto dos mais abastados e felizardos da época, que em seus palácios, cercavam o burburinho da cidade, que para os mais simples, não era tão glamorosa.

Em 79 DC, a cidade foi destruída pela fúria do vulcão Vesúvio, que lá do alto e imponente, continua a olhar o que hoje são ruinas e resquícios do que um dia foi a Pompéia do Império Romano.

Para entrar no sítio arqueológico (Pompei Scavi), o ingresso custa 11,oo euros e todos os folhetos explicativos são gratuitos, porém, pagando mais 6,50 euros, você pode alugar o audioguia, o que facilita bastante o passeio. Vale lembrar que o sítio arqueológico é fechado nas seguintes datas: natal, 1 de Janeiro e 1 de Maio.

Informações aqui: http://www.pompeiisites.org/

Anfiteatro, um dos famosos pontos das escavações de Pompéia
Anfiteatro, um dos famosos pontos das escavações de Pompéia
Durante o verão( de Junho ao fim de Agosto), a temperatura pode chegar até 40 graus, ou seja, se prevenir com chapéu e protetor solar, é sempre uma boa pedida.

Ficamos ali da manhã ( abre às 10:00hs), até o meio da tarde, quando resolvemos fazer o passeio para subir o Vesúvio.

O trajeto da frente do sítio arqueológico até a entrada do Parque Nacional Vesúvio, foi de ônibus. Dali para frente até chegarmos no ponto máximo que se pode chegar de forma motorizada, foi nesse grandão aqui:

IMG_3433

O último quilômetro e meio, tem que ser à pé. E lá fomos nós, quase morrendo, mas chegamos… e a vista, faz valer toda a pena (e a falta de fôlego) 🙂

IMG_3403

De lá de cima, pode-se ver as ruínas e a cidade. Tudo muito lindo e impressionante.

Mais informações sobre o passeio, veja aqui: http://www.parconazionaledelvesuvio.it/pnv/home/index.asp

Se estiver procurando um bom hotel para passar a noite, localizado em frente à saída do anfiteatro (na área arqueológica), está o Hotel Fórum: http://www.hotelforum.it/ – com diárias de 100,00 euros por quarto duplo – nada mal para um hotel 4 estrelas.

Opções de todos os valores você pode pesquisar aqui: http://www.booking.com

Restaurantes também não faltam. Dica da Carol: Il Principe – http://www.ilprincipe.com/ – fechado às Segundas-feiras.

De Pompéia, partimos para Salerno e Costa Amalfitana. Logo mais, todos os detalhes aqui.

Boa viagem 😉

Carol

Sobre Carol Pascoal

Brasileira, blogueira e profissional de vendas da indústria de moda, especializada em vendas e visual merchandising de acessórios de luxo. Viajar é um estilo de vida, assim como fotografia, arte e tudo que está ao meu redor e que me inspira. O Na Mala com Carol é um projeto onde divido minhas experiências e estilo de vida e também forneço serviços especializados em turismo de moda e consumo.

Comente