IMG_4035

Atenas Dia 2 – Overdose de cultura e sol

Partenon
Partenon
Meu grupo e eu, fazendo o passeio guiado.
Meu grupo e eu, fazendo o passeio guiado.
Anciente Agora - Antigo banheiro grego, só para homens :/ Um dos pontos do site arqueologico, durante o passeio guiado .
Anciente Agora – Antigo banheiro grego, so para homens :/
Um dos pontos do site arqueologico, durante o passeio guiado .
O famoso e delicioso Mussaka , da Taverna Bairaktaris
O famoso e delicioso Mussaka , da Taverna Bairaktaris
Acrópolis e Partenon
Acropolis e Partenon

Uma das vantagens de comprar o ticket do ônibus vermelho é que que além de valer por 48hs, geralmente te dá algum tipo de vantagem a mais: pode ser desconto em algumas atrações, ou no caso, aqui em Atenas, te dá direito a dois passeios,com guia turístico local, na região da famosa Acrópolis e Partenon.

Eu acordei cedo e andei por 10 min até a parada mais próxima; peguei o ônibus, dei uma volta completa no primeiro trajeto (no total são dois) e desci na parada da Acrópolis, onde às 11:30 da manhã, parte o primeiro tour.

Primeira dica: como muitos cruzeiros desembarcam passageiros diariamente para visitas de um dia na cidade, todas as grandes atrações ficam lotadas até o fim da tarde. Portanto, o melhor horário pra visitar esses locais, é depois das 4hs da tarde. Também, melhor horário para fugir do ápice do calor de 40 graus e sol latejante da cidade.

Como minha guia, Afrodite (sim, grega, com nome de deusa) já deu a dica logo de cara, resolvi fazer os dois passeios seguidamente, o que me deu uma injeção de cultura e história, durante 3hs e meia – da entrada da Acrópolis até o último ponto, na biblioteca de Adriano, ali na já familiar Monastiraki.

Decidi então, almoçar na tradicional Taverna Bairaktaris , fundada em 1879 e comandada pela família que dá nome ao local. Aqui,o proprietário, estampado nos inúmeros quadros com fotos junto a famosos, vira celebridade, enquanto serve atentamente todos os turistas e locais que se misturam no tumulto de uma multidão esfomeada.

Os preços são justos e por menos 25,00 euros (pq quis exagerar), me dei um banquete, de dar inveja à muitos. Destaque para o famoso Mussaka – feito com carne moída, massa, molho branco e beringela – indescritível. Também vale lembrar, que aqui se encontra um dos mais famosos souvlaki e gyros de Atenas – churrasco grego, de carne de cordeiro.

Por volta de três da tarde, voltei pra Acrópolis, para entrar e me deparar com um dos mais impressionates sites históricos da humanidade. Suntuosa, e imponente, as ruínas mostram o esqueleto do que um dia, foi o maior projeto arquitetônico do mundo.

Se eu falar que não chorei, seria mentira. É uma emoção, misturada com prazer, misturada com uma sensação de conquista…tudo pelo simples fato de poder ver de perto, tamanha exuberância.

Acho que ali, perdi um pouco a noção do tempo, porque quando me dei por mim, estava sentada e quase roxa, de tanto sol que tinha tomado. Tentei encontrar uma sombra, e esperei por um tempo até conseguir me recuperar. Sabia que se não fosse embora, ia passar mal.

E olha, conversei com muita gente, até surfista australiano ali, tava sentindo mais calor do que o normal.

Mais uma vez peguei um táxi, e mais uma vez, ganhei uma lista de lugares pra visitar e mais aula de cultura – e assim, do nada, no banco de trás do carro, decidi que tinha que conhecer o famoso Cape Sunion – o lar do templo de Poseidon. Mas naquele momento, voltei pro meu hostel, tomei um banho gelado e depois de uma soneca, me juntei ao grupo do quintal do Quinta.

Conheci o mais charmoso casal de suíços, ela escritora e ele cientista – que felizes contavam a mais nova experiência de terem sido perseguidos por um porco, nada amigável, numa das ilhas gregas.

Conheci o jovem australiano, que com 18 anos, chorava ao lembrar que tinha acabado de saber, que suas férias seriam em breve interrompidas, por ter que voltar pro Iraque, onde há menos de um mês, tinha visto morrer dois dos seus melhores amigos.

Tinha também o alemão, que estava ali há algumas semanas, porque se apaixonou pela linda gerente do hostel.

Japonesas, argentinos e eu, tudo junto e misturado….trocando estórias e tomando o famoso licor de canela….aquele que tem cheiro de natal.

Essa pra mim, é a melhor parte da viagem….a troca. Essa não tem como descrever,né?

Links relacionados:

– Acrópolis: http://pt.wikipedia.org/wiki/Acr%C3%B3pole_de_Atenas

– Partenon: http://pt.wikipedia.org/wiki/Partenon

– Taverna Bairaktaris: https://www.youtube.com/watch?v=iMXsNaA7vZA

Monastiraki Sq. 2, Atenas , Telefone: +30 210 321 3036

– Tour a pé, guiados e gratuitos: http://www.athensfreewalkingtour.com/

A última dica desse post é sempre dar uma caixinha( 5- 10 euros) pro guia no fim do passeio 😉

  • 0

    Overall Score

  • Reader Rating: 0 Votes

Carol

Sobre Carol Pascoal

Brasileira, residente em Londres, profissional de visual merchandising e blogueira. Viajar é minha paixão e por isso criei o blog Na Mala com Carol, onde escrevo sobre minhas experiências e tudo que faz parte do meu estilo de vida. Fashionista por opção, sou também colaboradora para blog Julia Plus, onde escrevo sobre viagens.

Você também vai gostar de ler

2 comentários on “Atenas Dia 2 – Overdose de cultura e sol

  1. pascoal ferreira
    21 de novembro de 2014 at 11:21 am

    Ao ver Acrópolis e o Partenon recordo de nossa ida a Pompéia e ao Vesúvio ( que tenho certeza merecerá uma historia futura em seu blog) consigo imaginar seu deslumbramento e êxtase diante de tamanha beleza e milhares de anos de história. Quem faz uma viagem desse porte deve ir com bastante disposição, garra para enfrentar grandes caminhadas, pois história e beleza não faltarão em seu caminho. Um dia quem sabe ainda iremos na sua mala até essa Atenas antiga e maravilhosa e dentro dela vários tubos de protetor solar.

Comente